Inicio

Menu
Inicio>Projetos>incorpora

Assumindo a missão de dar resposta às problemáticas geradoras de exclusão social, contribuindo activamente para a construção de uma realidade social mais justa, igualitária, responsável e solidária, o GAF foi estruturando a sua intervenção por forma a proporcionar alternativas para os constantes desafios que foram surgindo. Estes serviços têm sido co-financiadas através da celebração de acordos de cooperação atípicos e protocolos com o Centro Distrital de Segurança Social, mas foram sendo complementadas com diferentes projetos ao abrigo quer de programas e linhas de financiamento nacionais, quer de fundos comunitários.

Farol

O que é?

Financiado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, o Projeto Farol - Projeto de promoção da Rede Intermunicipal de Intervenção na Violência decorre de uma candidatura efetuada pelo Núcleo de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica. O projeto Farol pretende dar uma resposta mais qualificada e efetiva de apoio e proteção às vítimas por parte dos intervenientes da rede local (profissionais da saúde, justiça, OPCs, ISS) e num maior conhecimento, consciencialização das crianças e jovens deste território sobre a problemática da violência de género.

Ficha do Projeto(PDF | 488,66 KB)

Intervenção

O projeto está alinhado com os objetivos da Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018‐2030 – “Portugal + Igual” (ENIND) e Planos de Ação PNAIMH e PNAVMVD (Plano nacional de ação para a igualdade entre mulheres e homens e Plano nacional de ação para a prevenção e o combate à violência contra as mulheres e à violência doméstica), na medida em que visa potenciar a ação da Rede Intermunicipal do Alto Minho de Intervenção na Violência Doméstica.

O projeto contempla a realização de workshops com os intervenientes das organizações da administração pública que mais diretamente atuam com as vítimas; o reforço do apoio psicológico, jurídico e social atualmente prestados às vítimas e o alargamento das ações de sensibilização sobre violência doméstica a todos os agrupamentos de escolas de todo o distrito.

Público Alvo

Sociedade civil, profissionais da RIIVD e comunidade escolar.

Equipa

• 1 Psicólogo(a)

• 1 Assistente Social

• 1 Jurista

Rede Intermunicipal de Intervenção na Violência Doméstica

A Rede Intermunicipal de Intervenção na Violência Doméstica (RIIVD) visa o desenvolvimento e a consolidação de uma estratégia de intervenção integrada e articulada no fenómeno da violência doméstica e de género no distrito de Viana do Castelo. 

A meta da RIVVD é reduzir a incidência e prevalência dos casos de Violência Doméstica, no território de Viana do Castelo, através de estratégias concertadas e articuladas entre todos os parceiros.

Guia Procedimentos

incorpora

O que é?

É um programa de integração sociolaboral que tem como objetivo melhorar a integração de pessoas em situação ou risco de exclusão social através da identificação de oportunidades e trabalho na empresa.

O programa incorpora é financiado pela Fundação “la caixa” em colaboração com o BPI e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).


Intervenção

Ajudar pessoas em risco de exclusão social a terem acesso a um emprego, contribuíndo para construir uma sociedade socialmente mais responsável. Efetuar o acompanhamento do trabalhador e da empresa, relativo à integração desenvolvida.

Fomentamos a responsabilidade social empresarial de forma a consciencializar as empresas para o valor de empregar grupos vulneráveis.

Público Alvo

• Pessoas com incapacidade

• Jovens com necessidades especiais

• Desempregados de longa duração

• Maiores de 45 anos

• Pessoas com doença/transtorno mental

• Vítimas de violência doméstica

• Pessoas privadas de liberdade

• Migrantes 

• Pessoas com dependências

Equipa

• 1 Técnica/o Acompanhamento

• 1 Técnica/o Prospeção

RAP | Caça Sonhos

O que é?

Financiado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE), a RAP – Projeto Caça Sonhos decorre de uma candidatura efetuada pelo Núcleo de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica, que se encontra em estreita articulação com outras entidades com intervenção quer na violência doméstica, quer na infância e juventude.

O projeto Caça Sonhos dispõe de um serviço de apoio psicológico e psicoterapêutico dirigido a crianças e jovens vítimas de violência doméstica, recorrendo a metodologias de intervenção individual e em grupo baseadas em abordagens especializadas, como as abordagens psicoterapêuticas focadas no trauma.

Ficha do Projeto(PDF | 496,61 KB)

Ficha de Encaminhamento(PDF | 323,06 KB)

Intervenção

O projeto trata-se de um reforço do apoio psicológico e psicoterapêutico para crianças e jovens vítimas de violência doméstica atendidas e/ou acolhidas na Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica (RNAVVD), no âmbito do POISE. O objetivo é colmatar as necessidades de serviços de apoio especializado, privilegiando abordagens psicoterapêuticas focadas no trauma, e que assumem a designação de RAP – Respostas de Apoio Psicológico para crianças e jovens vítimas de violência doméstica.

Público Alvo

Crianças e Jovens Vítimas de Violência Doméstica

Equipa

• 2 Psicólogas/os

CAE-VVD | Centro de Acolhimento Temporário de Emergência para Vítimas de Violência Doméstica

O que é?

O Centro de Acolhimento Temporário de Emergência para Vítimas de Violência Doméstica (CAE-VVD) do GAF existe desde abril de 2020. É financiado desde 1 de janeiro de 2022 pelo POISE do Portugal 2020, mas foi inicialmente criado para dar resposta às necessidades decorrentes do período pandémico existente. Constitui uma resposta de acolhimento temporário de emergência para situação de risco, destinada a mulheres vítimas de violência doméstica, acompanhadas ou não de dependentes, sem outra resposta para além do acolhimento institucional, temporário.

É constituído por uma Equipa multidisciplinar, composta por técnicos/as da área social, psicologia e direito que, em estreita articulação com a equipa de ajudantes de ação direta desenvolvem um acompanhamento sistemático, intensivo e individualizado com as pessoas acolhidas, assegurando as condições básicas de vida (alojamento, alimentação, higiene e saúde) num ambiente tranquilo e securizante, favorável ao estabelecimento de novos projetos de vida.

Objetivos

Proporcionar segurança e bem estar às mulheres vítimas de violência doméstica, e respetivos dependentes.

Objectivos específicos

• Garantir o acesso com qualidade das condições básicas de vida (alojamento, alimentação, higiene, saúde e segurança) e bem estar integral;

• Maximizar o nível de ajustamento e adaptação psicológica;

• Diminuir o impacto dos maus tratos;

• Fomentar o investimento num projeto de vida;

• Proporcionar o conhecimento de direitos e deveres cívicos e utilização eficaz de recursos formais de apoio;

• Encaminhamento para estrutura de acolhimento facilitadora da autonomização e do desenvolvimento geral normativo.

Intervenção

Tendo em vista o alcançar dos objetivos delineados, a Equipa responsável pelo CAE-VVD proporciona um acompanhamento sistemático, intensivo e intencionalizado, ao mesmo tempo que disponibiliza serviços individualizados – consulta psicológica, consulta jurídica e acompanhamento social – que atendem às necessidades individuais e objetivos específicos.

O CAE-VVD assegura, desta forma, as condições básicas de vida – alojamento, alimentação, higiene, e saúde – para além de um conjunto de atividades inseridas em diferentes modalidades de intervenção:

• Acolhimento e avaliação das necessidades pessoais e familiares;

• Intervenção psicoterapêutica;

• Apoio técnico na prossecução do projeto de vida;

• Informação e acompanhamento para a utilização dos recursos da comunidade;

• Educação e informação sobre direitos e deveres cívicos;

• Encaminhamento para estrutura de acolhimento mais prolongado.

Equipa

• 1 Responsável Técnico – Psicólogo/a

• 1 Técnico/a Superior de Serviço Social

• 5 Ajudantes de ação Direta

• 1 Auxiliar de Serviços Gerais

Equipa Rua IR mais

O que é?

Financiado pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), este projeto, terá por base a filosofia da Redução de Riscos e Minimização de Danos (RRMD), tendo como fim a promoção da Saúde e da Cidadania, junto da população-alvo. O desiderato consiste em intervir na utilização de substâncias psicoativas e nos comportamentos sexuais de risco.

As bases estratégicas de atuação do mesmo centrar-se-ão numa resposta de proximidade (Equipa de Rua), quer ao local, quer ao indivíduo; na procura de uma postura amoral relativamente às problemáticas-alvo; numa vertente de empoderamento da sociedade e numa lógica sistémica e ecológica, facilitando o trabalho em rede. O propósito final será incutir no indivíduo o sentido de pesquisa de informação, a mobilização de conhecimentos/competências, o sentido de responsabilização e a capacidade de tomada de uma decisão, de forma consciente/informada.

Objetivos

Tem como meta a Promoção da saúde e da qualidade de vida dos grupos alvo, tendo dois objetivos gerais:

• promover a redução de riscos e a minimização de danos associados ao consumo de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas;

• reduzir comportamentos sexuais de risco no contexto do trabalho sexual.

Intervenção

Para atingir estes objetivos o projeto adota os princípios da Redução de Riscos e Minimização de Danos e estratégias de atuação que se centram numa resposta de proximidade (Equipa de Rua) quer ao local, quer ao indivíduo, procurando colmatar as necessidades dos sujeitos e promover a sua saúde, a sua integração social e exercício de cidadania. Esta intervenção terá em conta a integração com outras áreas de missão -Dissuasão, Prevenção, Tratamento e Reinserção, assim como o princípio da territorialidade e de atenção com os recursos já existentes no meio. Pretende-se também incutir no indivíduo a mobilização de conhecimentos/competências, o sentido de responsabilização e a capacidade de tomada de uma decisão, de forma consciente/informada e autonomizada. Acredita-se que fatores como a disponibilização de uma resposta de proximidade; a informação e sensibilização fornecidas; o material de redução de riscos disponibilizado; os serviços de apoio psicossocial e de saúde prestados; e o trabalho de encaminhamento, mediação e articulação realizados, poderão contribuir para modificar/melhorar os problemas identificados, minimizando-os ou até mesmo dissipando-os.

O projeto desenvolve-se segundo uma metodologia de investigação-ação que pressupõe uma relação estreita entre investigação e prática, com o objetivo de introduzir melhorias e adequar a intervenção às maleabilidades do fenómeno. Para o efeito, a Equipa técnica desenvolverá contactos de monitorização e acompanhamento, com registos diários e relatórios de indicadores mensais e anuais (SICAD), ações de avaliação, que incluam reuniões de equipa e contributos externos providos por um supervisor (CRI) e pelos parceiros da intervenção.

Em suma, este projeto realizará intervenção em contexto de rua, em contexto domiciliário e comunitário, realizando atendimentos diversos através de contactos iniciados pelos técnicos da ER ou solicitados por outros parceiros. Os grupos-alvo contemplam vários subgrupos com características diferenciadas, pelo que se procurará disponibilizar uma igual diversificação e adaptação dos serviços prestados. Para além dos serviços elencados, realizar-se-á satisfação de necessidades básicas; gestão do padrão de consumo; promoção da alteração das vias de consumo; motivação para tratamento; rastreios de saúde; aumento da informação sobre os recursos comunitários; promoção da integração familiar; e procurar-se-á aproximar os indivíduos aos serviços estruturados já existentes na comunidade, como o CRI, os Cuidados de Saúde Primários ou a Segurança Social. A intervenção procurará ainda responder aos crescentes desafios da intervenção, como a diversificação do fenómeno do consumo, os policonsumos, a comorbilidade, o envelhecimento da população e o isolamento social, numa lógica de intervenção em rede, sistémica e de empoderamento dos indivíduos.

A intervenção da Equipa de Rua iniciou em Janeiro de 2022 e o Programa de Metadona de Baixo Limiar (PMBL) estará previsto iniciar no mês de Abril, com resposta à população do concelho de Viana do Castelo.

Equipa

O projeto contará com uma Equipa multidisciplinar da área educacional, social, psicológica e de saúde, que terá uma dimensão suficiente que possibilite a formação de duas subequipas que possam assim subdividir o seu trabalho regular em dois giros, um nos concelhos do vale do Lima e outro nos concelhos do vale do Minho. Paralelamente, estas equipas irão assegurar o programa de administração de metadona de baixo limiar diário.

• 1 Técnico/a Superior de Educação

• 1 Técnico/a Superior de Educação Social

• 1 Técnico/a Superior de Serviço Social

• 1 Psicólogo(a)

• Enfermeiros/as

• Médico/a de clínica geral

Duração: Outubro 2013 até ao presente

O CAPS VIH/SIDA desenvolveu o Projeto Algodão Doce que visa a educação para os afetos e a sexualidade no pré-escolar envolvendo os agentes educativos principais – pais e educadores – e as crianças com 4 e 5 anos de idade que frequentam o jardim-de-infância.

[Continuar a ler]

CLDS 4G Viana para Tod@s

Duração: Setembro 2020 até Agosto 2023

Financiado pelo POISE e pelo Município de Viana do Castelo, o projeto Viana para Tod@s é uma parceria entre o Gabinete de Atendimento à Família (GAF) e o Posto de Assistência Social de Alvarães (PASA). De âmbito concelhio, terá uma duração de três anos, ficando o GAF responsável pelas atividades a desenvolver nas freguesias a norte do rio Lima e o PASA nas freguesias a sul.

[Continuar a ler]

Coruja

Duração: Outubro 2019 até Setembro 2022

Financiado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego o Projeto Coruja – Programa de Alfabetização Afetiva decorre de uma candidatura efetuada pelo Núcleo de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica visando a prevenção da violência de género neste território.

[Continuar a ler]

Equipa de Rua Adições

Duração: Outubro 2013 a dezembro 2021

Financiado pelo SICAD, o projeto adota uma intervenção de proximidade ao individuo tem como base a filosofia de Redução de Riscos e Minimização de Danos, associado à utilização de substâncias psico-ativas (SPA)lícitas e ilícitas e aos comportamentos sexuais de risco. Utiliza uma metodologia de investigação ação, assente numa base de análise teórica contínua das suas práticas/serviços e da relação respostas/individuo.

[Continuar a ler]

Saberes e Sabores

Duração: 2019

Apoiado pela Missão Continente, o projeto prevê uma intervenção na parte exterior da CI, por forma a se criarem condições para a confeção de refeições ao ar livre e para a revitalização da horta/estufa, por forma a promover um maior envolvimento dos/as utentes nesta matéria.

Consultar Folheto

Ensinar o Coração

Duração: Março 2018 a Junho 2019

O “Programa de Alfabetização Afetiva” insere-se no projeto “Ensinar o Coração”, o qual está a ser desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal de Viana do Castelo e a SIRD (Sociedade De Instrução e Recreio Darquense). Trata-se de um projeto social que foi alvo de uma candidatura denominada “Intervir, Inovar, Capacitar” do Programa Operacional Regional - Norte 2020. O objetivo será dotar a comunidade de Viana do Castelo com estratégias que têm em vista a promoção do desenvolvimento positivo das crianças, através do empowerment dos vários agentes que constituem a sua rede envolvente.

[Continuar a ler]

Doequ@l

Duração: Dezembro 2016 a Fevereiro 2019

O projeto Doequ@l surge no âmbito Programa Operacional de Inclusão Social e Emprego (POISE), sob a coordenação da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género. O projeto propõe-se desenvolver ações nas áreas de atuação propostas no âmbito dos seguintes Planos Nacionais: V Plano Nacional para a Igualdade de Género, Cidadania e Não discriminação (PNI); V Plano Nacional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género (PNPCVDG) e III Plano Nacional de Prevenção e Combate ao Tráfico de Seres Humanos (PNPCTSH).

[Continuar a ler]

CLDS 3G - Viana Consigo

Duração: Janeiro 2016 a Dezembro 2018

O programa Contratos Locais de Desenvolvimento Social de terceira Geração (CLDS-3G) tem como finalidade promover a inclusão social dos(as) cidadãos(ãs), por forma a combater a pobreza persistente e a exclusão social. Reforçando e estimulando a proatividade dos agentes de intervenção social, o CLDS-3G dá continuidade à estratégia de atuação dos programas CLDS anteriores, a qual se sustenta na dinamização de parcerias, com o fim de encontrar soluções para as diferentes problemáticas dos(as) cidadãos(as) e de promover o crescimento sustentável e inclusivo dos territórios.

[Continuar a ler]

CLDS+ Empreender+

Duração: Junho 2013 a Junho 2015

O Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social (Programa CLDS) tem como finalidade originária promover a inclusão social dos cidadãos, de forma multissectorial e integrada, através de ações a executar em parceria, por forma a combater a pobreza persistente e a exclusão social em territórios deprimidos.

[Continuar a ler]

Projeto XYX

Duração: Janeiro 2013 a Junho 2014

O Projeto XYX – Projeto de empoderamento individual e comunitário, financiado pela medida 7.3 do POPH do QREN e coordenado pela CIG. Tem como propósito a prevenção da violência de género, através da disseminação de novos discursos e “ecos” de género.

[Continuar a ler]

Proequ@l

Duração: 2010 a 2013

O Proequ@l, é um projeto coordenado pela CIG e financiado pelo POPH, que tem como linhas orientadoras de ação a prevenção da Violência de Género e promoção da Igualdade de Género.

[Continuar a ler]

Linhas e Rabiscos

Duração: 2009 a 2012

O Projeto "Linhas e Rabiscos" encontra-se integrado no âmbito do Programa de Respostas Integradas (PRI) do Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT) e pretende promover a Saúde e a Cidadania, recorrendo à metodologia da Redução de Riscos e Minimização de Danos na utilização de substâncias psicoativas e nos comportamentos sexuais de risco. É dirigido a uma população essencialmente jovem e à comunidade em geral do território geográfico que atravessa os Concelhos de Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença.

Consultar folheto

PRexistências

Duração: 2009 a 2012

O PRexistências é um programa de prevenção das toxicodependências em meio escolar financiado pelo Programa de Respostas Integradas (PRI) do Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT). Tendo como principais objetivos: Aumentar as competências dos agentes sociais no âmbito da prevenção das toxicodependências; E reduzir os fatores de risco e aumentar os fatores de proteção associados ao consumo de substâncias psicoativas, nos adolesentes.

Consultar folheto

Equipa Rua Estrada com Horizontes

Duração: 2002 a 2012

Financiado pelo IDT, desenvolve trabalho sobretudo no espaço público junto de indivíduos consumidores de substâncias psicoativas (ocasionais ou problemáticos) e suas famílias e trabalhadores sexuais de rua. Numa ótica de prevenção de riscos e minimização de danos a sua intervenção baseia-se em serviços de consulta psicológica, apoio social e jurídico, administração de metadona e de outras terapêuticas, contacto de monitorização, distribuição de material de consumo assético e material informativo.

[Continuar a ler]

"Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum."

Não perca nenhuma informação sobre as nossas atividades! Inscreva-se já!